O futuro hoje

Energia que Transforma

Por um Portugal renovável que faz dos resíduos bioenergia.

ABA

Associação de Bioenergia Avançada

Constituída em 2019, a ABA é uma associação sem fins lucrativos com uma preocupação fundamental: promover a bioenergia na transição energética para a economia circular. Para concretizar esse objetivo, é imprescindível desenvolver e utilizar biocombustíveis avançados, produzidos a partir de resíduos.

Em conjunto com os nossos associados, pretendemos combater a grande dependência energética de Portugal em relação à Europa, sendo de extrema importância criarmos condições para transformar a indústria energética nacional e contribuir decisivamente para uma economia verde.

Bioeconomia
Cooperação
Sustentabilidade
Circularidade
Bioenergia
Por um mundo melhor

Sabia que?

Os biocombustíveis avançados têm um papel importante no combate ao COVID-19?

A produção de biodiesel tem sido considerada uma atividade essencial durante a atual pandemia. De facto, tanto a glicerina (um subproduto do biodiesel) como o álcool etílico são essenciais à produção de álcool gel e outros desinfetantes industriais e hospitalares. Face às necessidades atuais do mercado, os nossos associados estão a reunir esforços, juntamente com a DGAV e a AT, para disponibilizar estas matérias-primas aos fabricantes nacionais de desinfetantes. É, por isso, urgente apostar na indústria de biocombustíveis avançados, também para garantir respostas a situações futuras de pandemia.

1 / 5
Por um mundo melhor

Sabia que?

Os biocombustíveis avançados são mais sustentáveis?

O impacto ambiental associado ao despejo dos óleos alimentares usados é extremamente nocivo. Além disso, estes resíduos poderão ser utilizados na produção de biocombustíveis avançados. Por isso, ao utilizar os oleões estará a contribuir não só para a preservação do meio ambiente como para a produção de energia renovável e, consequentemente, para o sucesso da economia circular.

2 / 5
Por um mundo melhor

Sabia que?

A bioenergia é penalizada fiscalmente?

Quando abastece o seu veículo com biocombustíveis, está a pagar os mesmos impostos aplicados aos combustíveis convencionais. De facto, a bioenergia suporta um ISP (Imposto sobre Produtos Petrolíferos) e uma taxa de carbono iguais aos dos combustíveis fósseis e seus derivados, apesar de as suas emissões de GEE serem substancialmente mais baixas.

3 / 5
Por um mundo melhor

Sabia que?

A dependência energética do país pode ser combatida com biocombustíveis avançados?

A utilização de biocombustíveis avançados pode ter um papel decisivo na redução da dependência energética do país, já que a produção e recolha das matérias-primas principais – resíduos – podem ser feitas a nível nacional.

4 / 5
Por um mundo melhor

Sabia que?

Foi proibida a inclusão de óleo de palma nos biocombustíveis?

Perante os efeitos nocivos para o ambiente e habitats, a União Europeia proibiu a utilização de óleo de palma na produção de biocombustível a partir de 2030. Até lá, a UE defende um phase out, isto é, um decréscimo progressivo até à eliminação definitiva. A Noruega é o único país que já proibiu completamente o seu uso em 2020. Atualmente, quase toda a indústria nacional já substituiu o óleo de palma por óleos alimentares usados. Esta proibição é também defendida pela ABA.

5 / 5

Associados

Eventos

Notícias

Ver todas