O que defendemos

Misturas mais ricas em bioenergia

É fundamental uma maior incorporação de biocombustíveis nos combustíveis fósseis, de modo a reduzir as GEE e a cumprir as metas de renováveis

O que defendemos

Tratamento fiscal diferenciado

A redução da carga fiscal aplicada à bioenergia é imprescindível para fomentar a produção e utilização de biocombustíveis

O que defendemos

Não aplicação do CAP de 1.7% na transposição da REDII

Conheça os fundamentos de Portugal para a não aplicação desta proposta

O que defendemos

Incentivo à recolha de resíduos e sua valorização

As vantagens da recolha de resíduos são claras e impactantes, tanto para a economia como para o ambiente.

O que defendemos

Promover a eliminação do uso de óleo de palma

Um dos passos mais importantes para assegurar a sustentabilidade e promover a economia circular é a erradicação do óleo de palma da produção de biocombustível

A ABA reúne produtores nacionais de biocombustíveis avançados e de gestão de resíduos, além de empresas dedicadas à implementação de projetos que refletem a nossa visão de uma economia sustentável, ecológica e circular.

A missão da ABA é representar e defender os interesses dos seus associados, mantendo sempre uma estreita colaboração no sentido de promover a bioenergia como passo imprescindível para a transição energética.

Objetivos Específicos

  • Participar ativamente e posicionar-nos estrategicamente em relação aos vários pacotes legislativos apresentados pelo governo português para a transição energética nos transportes, bem como nas alterações regulamentares relevantes para o setor.

  • Estimular os biocombustíveis avançados como uma alternativa ecológica em relação aos combustíveis fósseis, assumindo um papel relevante na defesa da sustentabilidade e na redução da dependência das importações de energia, especialmente no setor dos transportes rodoviários.

  • Estabelecer parcerias com vários organismos nacionais e europeus, de forma a fortalecer a coordenação intersetorial e melhorar a cooperação entre agentes públicos e privados.

  • Intervir nos debates sobre política energética e do clima, fomentando uma economia de baixo carbono, verde e com aposta na circularidade.

  • Promover a Investigação, Desenvolvimento e Inovação como vetor estratégico, de forma a possibilitar a evolução sustentável da economia circular no setor dos transportes, investigando novos caminhos com novas tecnologias para o tornar economicamente viável na indústria.

Novos Associados

Vantagens em Tornar-se Associado

Os nossos associados são parte integrante da ABA e o seu papel é decisivo para o desenvolvimento de propostas e promoção de medidas que influenciem o destino energético de Portugal. Saiba tudo o que temos para lhe oferecer.

Participação na criação de condições para um futuro sustentável

Acesso a informação privilegiada sobre o setor

Acesso a documentação produzida pela ABA

Participação em eventos

Acesso a preços especiais em iniciativas da ABA

Ser Associado

Atuais Associados

A Bioport dedica-se à produção de biocombustível, apostando ao mesmo tempo em soluções que respeitam o ambiente.

A EBA é a voz do gás renovável na Europa. Fundada em fevereiro de 2009, a associação compromete-se com a promoção ativa da implementação da produção e uso sustentável de biogás e biometano em todo o continente.

A Eco-Oil é uma referência nacional na produção de Fuel regenerado. A matéria-prima usada tem origem em resíduos de hidrocarbonetos e o combustível, 100% reciclado, permite aos seus Clientes menor índice de emissões poluentes.

Inaugurada em 2011 na cidade de Guimarães, a EcoMovimento é uma empresa licenciada para a Operação e Gestão de Resíduos. A sua área de atividade foca-se essencialmente na reciclagem dos Óleos Alimentares Usados (OAU).

A EWABA promove a inclusão de biodiesel produzido a partir de resíduos nos combustíveis fósseis como forma sustentável e funcional de reduzir as emissões de GEE e a taxa de carbono nos transportes europeus.

A Hardlevel é responsável pela gestão de resíduos, controlando todo o processo, desde a recolha seletiva até à sua valorização como matéria-primas para a produção de biocombustíveis avançados.

A Planetiers é uma startup portuguesa que tem como missão criar e gerir plataformas, digitais e físicas, que acelerem a mudança sustentável. Nascida em 2017 com o Mercado Online Sustentável é agora uma organização com 3 projectos em paralelo.

A Prio é a maior produtora de biocombustíveis em Portugal e uma das maiores produtoras europeias de biodiesel avançado sustentável a partir de matérias-primas residuais.

A Resiway desenvolve soluções que permitem transformar resíduos em novas matérias primas para os setores dos biocombustíveis avançados e da oleoquímica.

FAQ

Tire as suas dúvidas

Quem poderá associar-se?

Qualquer empresa ou organismo que se reja pelos mesmos valores da ABA e tenha os mesmos objetivos ambientais, energéticos e económicos é um potencial associado. A nossa associação procura parceiros dos mais variados setores para defender, promover e implementar medidas que transformarão o país e o mundo. Contacte-nos para obter toda a informação.

Que tipos de associados existem?

A ABA é constituída por três tipos de associados: Globais, Setoriais e Parceiros.

Como fazer para me tornar associado?

A ABA aceita candidaturas de interessados através do seu website. Basta preencher o formulário inserindo toda a informação solicitada. Será contactado logo que possível e terá acesso a toda a informação.

Quais serão as atividades a desenvolver em 2020?

Durante o ano de 2020, os objetivos da ABA são os seguintes: cooperar com agentes políticos, organismos da administração Pública e entidades europeias e internacionais; participar ativamente na transposição da Diretiva RED II, de modo a que Portugal esteja alinhado com os outros países e aproveite oportunidades únicas de se tornar líder nas energias renováveis, nomeadamente nos biocombustíveis avançados; criar o Observatório da Energia para a Mobilidade, reunindo informação relativa às emissões do setor dos transportes; realizar um estudo denominado “Visão ABA 2025”, cuja finalidade é analisar as principais medidas que contribuirão para alcançar as metas energéticas e climáticas nacionais para 2025; investir na comunicação da ABA e na sua presença em conferências e nos meios de comunicação social.


Porquê promover misturas mais ricas em Bioenergia?

A produção de biocombustíveis a partir de resíduos traz as vantagens ambientais muito significativas. No entanto, a incorporação de biocombustíveis nos combustíveis fósseis está limitada pela legislação referente aos biocombustíveis e às especificações de qualidade dos combustíveis ao consumidor. Por outro lado, praticamente todos os veículos vêm já homologados de fábrica com autorização para uso de combustíveis com até 30% de biocombustível. A promoção da incorporação de maiores percentagens de biocombustíveis poderia contribuir significativamente para a redução de emissões de gases de efeito de estufa (GEE) e para o cumprimento das metas de renováveis, de uma forma rápida sem investimento adicional.

Porque deve Portugal solicitar à União Europeia a não aplicação do CAP de 1.7% nos biocombustíveis avançados?

A transposição da RED II será o grande desafio para a definição do caminho que Portugal quer fazer nos biocombustíveis. Torna-se essencial observar o que está a ser feito em toda a UE, para que Portugal não fique desalinhado nem perca oportunidades únicas de se tornar líder nas energias renováveis. A RED II prevê um CAP de 1.7% para a contribuição dos biocombustíveis avançados provenientes de matérias-primas residuais da parte B do anexo IX (óleos alimentares usados e de gorduras animais). Este CAP visa assegurar que toda a meta de biocombustíveis avançados não seja cumprida apenas com estas matérias-primas e que haja espaço para as restantes. Aplicar-se o CAP proposto na RED II, no nosso caso em particular implicaria um retrocesso muito significativo na transição energética nacional e colocaria em dificuldade a indústria nacional. Felizmente, a RED II prevê que países em situação específica como a de Portugal possam pedir a isenção desse CAP. Os nossos fundamentos são os seguintes:


·      Falta de condições agrícolas para produzir colza ou soja de forma competitiva na UE;

·      Produção atual de mais biocombustíveis a partir de OAU que o limite de CAP proposto;

·      Posse de tecnologia única de produção de biodiesel a partir de OAU;

·      Acessibilidade a esta matéria-prima, que sendo um resíduo danoso para o meio ambiente é fundamental introduzi-lo no âmbito de uma economia circular.

Deseja tornar-se Associado?

Se partilha da nossa visão e satisfaz os critérios de admissão, torne-se associado da ABA.
Junte-se a nós e tire partido das vantagens que oferecemos à sua empresa.

Após recebermos o formulário, voltaremos ao seu contacto com a maior brevidade possível.

Obrigada, entraremos em contacto em breve.
Oops! Something went wrong while submitting the form.